Objetivos

1. Elaborar uma reflexão teórica sobre o conceito de empreendedorismo social a partir da análise da realidade nacional.

 

2. Analisar as estruturas e as práticas no campo do empreendedorismo social em três dimensões:

 

Político-institucional

  • Inventariar, sistematizar e analisar instrumentos e orientações de política e de intervenção pública na esfera da promoção de iniciativas com perfil de empreendedorismo social desde meados da década de 90 do século XX;
  • Aferir e avaliar as diferentes configurações institucionais e práticas de empreendedorismo social, considerando os seus intervenientes, as suas temáticas de ação, o seu âmbito espacial e os seus públicos;
  • Delimitar e balizar a intervenção política no âmbito do empreendedorismo social numa estratégia de desenvolvimento territorial/local, de emprego e de inclusão social.

 

Organizacional

  • Equacionar a atual natureza e papel das organizações de base do terceiro setor como produto de iniciativas de empreendedorismo social, a partir de um conjunto de dimensões analíticas que cruzam as variáveis económicas (viabilidade económica e eficiência) e sociais (democracia e cooperação);
  • Analisar os modelos de gestão das organizações do terceiro setor (em termos dos recursos humanos e financeiros, bem como do capital social) e as suas práticas de governança e de prestação de contas, percepcionadas como variáveis de inovação organizacional;
  • Analisar a orientação dos processos de intervenção junto das populações, a sua capacitação, autonomização, envolvimento e níveis de participação enquanto variáveis caracterizadores do processo de inovação social;
  • Analisar em que medida as vertentes em análise, nomeadamente a inovação organizacional e social, contribuem para a criação de valor social, uma característica singular da missão das organizações em análise.

 

Educação/Formação

  • Inventariar políticas de ensino e de formação para o empreendedorismo social;
  • Identificar as iniciativas de educação/formação promotoras de perfis profissionais de empreendedores sociais;
  • Analisar as estruturas curriculares e conteúdos disciplinares nos domínios da  educação formal e não formal, com o intuito de determinar saberes e competências dos empreendedores sociais e consequentes implicações para os seus modus operandi junto e com as populações.

 

3. Propor recomendações ao nível das orientações de políticas públicas, de modelos organizacionais e gestionários e de práticas educativas e formativas.