Enquadramento

Como todos os campos de investigação em emergência, o empreendedorismo social carece de consensos teóricos alargados, sendo palco de fortes debates concetuais e, simultaneamente, de controvérsias ideológicas e políticas. Se o empreendedorismo social é encarado frequentemente como um dos sustentáculos de um novo modelo de desenvolvimento, a sua definição, os seus caminhos e as direções a seguir divergem entre abordagens.

Em grande medida, este conceito surge associado à reemergência das temáticas da economia social e solidária e do terceiro sector, embora estas assumam um desenvolvimento e visibilidade acrescidos. Esta associação fundamenta-se por três vias de abordagens:

  • as que concetualizam o empreendedorismo social como novas gerações e práticas de renovação dentro da economia social tradicional, de acordo com as escolas europeias;
  • as abordagens que entendem estas iniciativas como negócios ou empresas cuja caraterística distintiva é assumirem uma missão social, segundo as perspetivas anglófonas;
  • as abordagens que enfatizam os empreendimentos solidários de base popular em que assumem relevo as correntes da América Latina.

O projeto parte da identificação e do envolvimento de múltiplos atores sociais com intervenção neste campo, e visa compreender as representações a que se refere este conceito no contexto nacional, bem como as práticas a que está a dar lugar.